BLEFAROPLASTIA: CIRURGIA DAS PÁLPEBRAS

BLEFAROPLASTIA: CIRURGIA DAS PÁLPEBRAS

O que é

Blefaroplastia é o nome que recebe a cirurgia plástica das pálpebras, utilizada de forma estética e funcional, para o tratamento de pele em excesso, bolsas de gordura, além de flacidez muscular na região abaixo dos olhos. 

Para quem é indicada

Saiba qual o perfil de paciente indicado para a blefaroplastia

A indicação da blefaroplastia, cirurgia de correção das pálpebras, advém de problemas de natureza estética e funcional, e não existe idade ideal para realização do procedimento, entretanto a procura é maior por pacientes maiores de 30 anos que sofrem dos sintomas citados anteriormente: excesso de pele causando flacidez, gordura localizada em bolsas abaixo dos olhos, queda da pálpebra por causas musculares ou excesso de pele. 

Muitas podem ser as razões para o aparecimento desse incômodo, são elas:

  • idade;
  • falta de utilização de proteção solar, portanto a exposição aos raios uv;
  • predisposição a flacidez corporal;
  • predisposição genética;
  • excesso de álcool e drogas;
  • tabagismo. 

+ Saiba mais sobre outros procedimentos cirúrgicos de intervenção facial

Sobre a cirurgia, pós-operatório e resultados

O pós-operatório da blefaroplastia pode surpreender positivamente quem tem receio de procedimentos cirúrgicos

A forma mais comum de aplicação de anestesia para a cirurgia de blefaroplastia é local com sedação. Entretanto, a anestesia geral também pode ser aplicada. O pós operatório é praticamente indolor, podendo gerar sensação de ardor nas 24h posteriores à cirurgia, resolvidos com analgésicos prescritos.

O procedimento normalmente dura 1 hora, entretanto o internamento pode estender-se entre 3 e 6 horas. Em termos de inchaço e surgimento de manchas arroxeadas, os 3 primeiros dias são cruciais, e certamente aparecerão. Ao findar disso, com uso regulado de compressas geladas e seguindo todas as orientações médicas, o efeito será reduzido.

Cada paciente é um caso clínico diferente, portanto os resultados podem ser perceptíveis em intervalos de tempo diferentes, entretanto o mais comum é começar a aparecer depois de um mês, quando a cicatrização está evoluindo e o inchaço já é quase inexistente. 

As contraindicações da blefaroplastia

O diagnóstico de não indicação da blefaroplastia pode ser dado apenas pelo médico cirurgião

A contraindicação para realização do procedimento depende da avaliação do quadro do paciente através da consulta médica. Entretanto, alguns perfis de pacientes possuem predisposição a não realização do procedimento, são eles: 

  • fumantes;
  • portadores de graves problemas oculares; 
  • pessoas com doenças como diabetes e hipertensão, com tendência a dificuldade de recuperação ou aplicação da técnica adequada;
  • portadores de infecções em andamento. 

Ainda assim, a avaliação do caso e o diagnóstico do paciente deve ser feito apenas pelo médico cirurgião plástico, de forma que identifique com clareza e assertividade a possibilidade da realização da cirurgia. 

+ Vamos conversar mais sobre isso no instagram: acesse!

Quais riscos oferece

A blefaroplastia também surpreende os pacientes com o baixo indicio de riscos a saúde

A realização da blefaroplastia oferece poucos riscos, além dos comuns a qualquer procedimento cirúrgico, como: complicações cardíacas, pulmonares, trombose, e relacionados à anestesia.

Deve existir o uso constante de colírio nos olhos, já que a sua hidratação pode ser afetada temporariamente. Poderá ocasionar, também, dificuldade de fechamento dos olhos, com: disfunção na pálpebra, pele solta, fechamento inadequado, exposição da conjuntiva e fechamento anormal, sendo resolvidos com massagem e colírio ocular, através  de tratamento conservador, ou nova operação.

Consulte os depoimentos e certificações do médico escolhido para realização da cirurgia antes, garantindo assim a expertise e estrutura adequada.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.