Hipertrofia Adenoamigdaliana (HAA)

A hipertrofia adenoamigdaliana (H.A.A.) é um problema que afeta crianças cujas idades variam de poucos meses a cerca de 13, 14 anos. Depois disso, os sintomas diminuem, tendendo a deixar de ser problema. No entanto, naquela fase costuma apresentar-se como um sério transtorno, podendo acarretar muitos outros. Isso, sem falar nas consequências, que podem ser irreversíveis.

A adenoide é um tecido linfoide como a amígdala. Portanto, eis uma primeira e básica informação para a mãe da criança: – “Se a amígdala é grande, a adenoide também o é, quase sempre. E isso, justamente pelo fato de serem ambas do mesmo tipo de tecido (linfoide)”.

O problema respiratório é o principal transtorno que se manifesta nas crianças em que esses tecidos crescem demasiadamente. Outra informação básica é: – “Se a criança ronca, baba, bate-se para dormir, tem um sono muito agitado, é encontrada no pé da cama, chega a parar de respirar por alguns segundos durante a noite, não se assuste, achando que ele pode parar de respirar e morrer. Seu médico certamente verificará o aumento das amígdalas e da adenoide e deverá orientá-la com respeito à simplicidade da solução: basta retirá-las”.

É importante entender que não existe remédio para esse tipo de problema, por se tratar de um problema anatômico. Isso faz com que a cirurgia seja necessária para remoção desse tecido supérfluo.

É possível verificar em CIRURGIA: ADENOAMIGDALECTOMIA, neste mesmo site, que se trata de um procedimento bem mais simples do que se imagina. Em alguns casos, a criança corre um risco maior por não retirar as adenoides e amígdalas, do que por submeter-se à cirurgia.

Portanto, se a criança sofre de problemas respiratórios, apresenta infecções de vias aéreas com frequência, começa a apresentar deformidade facial, ou de arcada dentária, está com dificuldade para ganhar peso, apresenta dificuldade para escutar por Otite Média Secretora (verificar neste site – DOENÇA: OTITE MÉDIA SECRETORA), não se deve hesitar quanto à recomendação para operar: certamente essa criança terá um futuro com mais qualidade de vida.

A adenoide é um tecido que cresce atrás do nariz e pode tapar literalmente esse espaço (ver foto), fazendo a criança sentir grande dificuldade em respirar somente pelo nariz, levando-a a respirar também pela boca: é a chamada respiração bucal, que deveria se chamar respiração mista. A maioria dessas crianças tem respiração nasal e bucal, portanto mista, o que é inadequado e leva a problemas já citados, que podem ser leves ou importantes e, devido ao grau de acometimento, terão um significado pequeno ou imenso em seu desenvolvimento. Cabe ao médico – dotado das informações importantes que a mãe lhe passar – julgar e orientar sobre o que fazer para ajudar a criança.

Um exemplo importante e bastante conhecido de deformidade facial e de arcada dentária, causada pela não retirada das adenoides e das amígdalas é a “fascies” adenoideana do jogador Ronaldinho Gaúcho: o rosto alongado, o estreitamento do terço médio da face, a arcada dentária deformada, o palato ogival são características marcantes dos pacientes não submetidos à cirurgia de correção durante a infância.

A deformação ocorre ao longo do crescimento. Se esses sintomas se apresentarem e seu médico indicar a retirada das adenoides e amígdalas, parece aconselhável pensar no que será melhor para o futuro da criança.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.